reconhecendo-me

textos

A primavera chegou

Eu achei que o inverno nunca terminaria. Pensei que eu ficaria para sempre enclausurada em questões internas que me absorviam completamente. Mas o inverno foi chegando ao fim e, como as flores que insistem em colorir os nossos dias, eu fui me abrindo devagarinho. Muitas coisas aconteceram nesse tempo. Muitas mudanças, até físicas mesmo, se empenharam por aqui. Mas até então tudo em mim clamava por solidão, então não me parecia oportuno compartilhar.

O frio do inverno transformou-se em fogo dentro de mim. Foi queimando aos poucos as emoções que há muito tempo estavam cristalizadas. Eu senti dor. A dor por mim conhecida, de não ser mais quem eu sabia que era. A dor de deixar fluir tudo aquilo que, de certa forma, definia a pessoa que eu conhecia. Em alguns momentos me senti tão profundamente triste, como nunca antes, e me permiti sentir cada pedacinho dessa emoção. Em muitos dias tive dificuldade de levantar da cama. Não tinha ânimo para comer. Comecei a ficar muito sensível com tudo ao meu redor e sentir ainda mais. Foi intenso. Foi doloroso. Foi transformador!

Hoje, no primeiro dia da primavera, eu quero agradecer ao inverno rigoroso que se passou dentro de mim. Eu agora tenho mais consciência da minha relação com as estações. Outrora de recolhimento e agora de expansão, de crescimento. Cada uma delas tem um lugar em minha vida e eu fico feliz por estar atenta e conectada com os movimentos do universo.

Emocionada compartilho com vocês o meu desabrochar, o meu singelo e sutil renascer.